terça-feira, julho 19, 2005

Para Ti C.

Recebi esta mensagem, que agora reproduzo na íntegra, pela mão de uma pessoa que conheci no meu emprego há relativamente pouco tempo, mas que depressa passou a fazer parte do «meu mundo».

Isto porque nestes dias repletos de banalidade, conhecer alguém que faz da sensibilidade a sua arma de arremesso, acaba por ser uma lufada de ar fresco, semelhante àquela que se tem quando se abrem as janelas de uma casa que já se encontra fechada há muito tempo ...

A ternura que dizes que eu tenho pelas «pessoinhas» é apenas e também o reflexo da tua própria ternura. És uma grande mulher e tens uma linda filha em cujas histórias me prendo pela beleza que emana de cada palavra com que as descreves. És uma pessoa com muita luz. És uma pessoa feliz porque a ti retorna todo o bem que trazes à vida de quem te rodeia.

Esta tua mensagem fala das avós, um assunto que me é particularmente grato – não só pelo que já tive oportunidade de dizer neste blog mas também porque tenho uma verdadeira devoção pela 3ª idade (como sabes) – mas isso fica para outro post.... esta descrição de avó podia bem ter sido feita por mim, em qualquer idade...

Sei que vais CORAR MUITO quando leres este post que te é inteiramente dedicado, mas esta é uma homenagem absolutamente justa à pessoa que és.

Obrigada minha querida C. Gosto muito de ti e admiro-te muito.

As tuas palavras são as que aqui deixo a verde, a cor da esperança. O teu mail é o que reproduzo a azul, a cor do mar. As minhas palavras para ti são laranja, a minha cor.

«Provavelmente já conheces, mas a ternura que tens pelas pessoinhas mais crescidas deve ser porque também pensas como uma criança naquilo que é essencial.»

Artigo redigido por uma menina de 8 anos e publicado no Jornal do Cartaxo. Uma delícia!

«Uma Avó é uma mulher que não tem filhos, por isso gosta dos filhos dos outros. As Avós não têm nada para fazer, é só estarem ali. Quando nos levam a passear, andam devagar e não pisam as flores bonitas nem as lagartas. Nunca dizem "Despacha-te!". Normalmente são gordas, mas mesmo assim conseguem apertar-nos os sapatos. Sabem sempre que a gente quer mais uma fatia de bolo ou uma fatia maior. As Avós usam óculos e às vezes até conseguem tirar os dentes. Quando nos contam histórias, nunca saltam bocados e nunca se importam de contar a mesma história várias vezes. As Avós são as únicas pessoas grandes que têm sempre tempo. Não são tão fracas como dizem, apesar de morreram mais vezes do que nós. Toda a gente deve fazer o possível por ter uma Avó, sobretudo se não tiver televisão.»

Caracol Familiar

17 comentários:

smartins disse...

Grande texto.
As avós são uma maravilha. Eu tenho uma avó com 94 anos e uma disposição extraordinária. Aliás, nos mementos menos bons é a ela que eu ligo, para o telemóvel, sempre ali pronto para me levantar o ânimo. cinco minutos, já estou melhor.

Dilbert disse...

Oi caracolinha :)
oh pá... impecável... como uma miudinha consegue dizer tudo o que há para dizer...
vou já telefonar à única avó que ainda tenho...
felizmente a minha filhota ainda tem os quatro avós :)
Bjokas e até já...

Anónimo disse...

gostava de ser tão bonita
como os teus olhos me vêm
gostava de ter tanta luz
quanto aquela que me invade
quando me emocionas, assim...
gostava de só sentir tanta ternura
como a que recebo de ti.

é o fascinante jogo das percepções. e das emoções.

sabes que mais? é o aconchego maior ter tropeçado em "quase toda tu", minha querida caracol(espaço)inha.

Ultimate_pt disse...

Bonito post.
E é sempre bom termos alguém de quem gostamos por perto.Eu sei que a vida é muito injusta relativamente a isso,mas a vida não é mais do que um conjunto de laços emocionais que nos prendem à nossa familia e amigos,fazendo com que realmente exista razão de viver.
Beijos às avós,avôs.

Isabel-F. disse...

Oi Caracolinha....

Sem dúvida és uma pessoa especial... tudo o que escolhes é delicioso....
o teu modo de escrever é fantástico...
e, como já te disse, quem ganou em me teres encontrado fui eu.... pois assim posso me deliciar com estas maravilhas a "laranja"

Beijokita carinhosa

guevara disse...

deliciei-me...
palavra de honra!
então quando dizes: "porque também pensas como uma criança naquilo que é essencial."

É assim que me quero sentir para toda a vida. Alguns chamam-me palhaça! Até porque sou realmente palhacinha! Mas prefiro ver-me como uma eterna criança, a querer sempre brincar, com as parvoices próprias de quem tenta viver na fantasia...

E quanto às avós...
Já está no céu a materna...
a outra...está mais lá do que cá.

:(

MAs vejo a minha mae com os meus sobrinhos...
E faço dela a minha avó!
Já viste o filme: "Diário da Nossa Paixão"? Fala sobre a Alzeihmer.
É assim que está a Avó Ernestina...

Beijo!
=)

Leonoretta disse...

Avós...
A sua falta, a partir dos anos 80, deita por terra o equilibrio emocional dos garotos.
avós...
no dia da mãe, os meus miudos também fazem um cartão para a avó.

beijinho da leonor

Yardbird disse...

Bem, devo estar mesmo a ficar patareco porque esse texto deixou-me com uma cara de parvo de felicidade que nem te conto.
Oxalá a C esteja muitos anos na tua vida, e tu continues a ser como ela diz, menina :-)
Beijinho, Caracolinha

CP disse...

Lindo! Lindo! Lindo!
Este texto é maravilhoso do princípio ao fim. Obrigado por teres partilhado connosco.
Obrigado.

Anónimo disse...

Olá. Deixo aqui um link de poemas maravilhosos para os nossos blogs.

http://www.mulhervirtual.com.br/poesias/poesias/alandra.htm

Jocas

Mocho Falante disse...

Amiga, mas que texto tão prórpio de ti, sim porque eu conheço a autora em carne e osso.

PS: Olha lá e se as musiquinhas que pões aqui fosse em mp3 hummm? Com que então a colocar faixas directamente do cd!!!!!

Ai a minha vida pá, ainda por cima eu que gosto tanto desta música

Bábas

Mitsou disse...

Que delícia, Caracolinha!
Já não aguentava com saudades e vim deixar uma beijoca doce, assim mesmo, de fugida :) Até muito breve, agora!

Isabel Magalhães disse...

Neste blog não acontecem apenas afectos...

também acontecem coisas estranhas por causa dumas músicas - que não posso ouvir porque este portátil não tem som - mas que se prendem com "autorias"... :) :) "Ai a minhaaaaaaaaaaaaa vidaaaaaaaaaaaa..."! que ainda vai tudo "de cana"...

mas dizia eu, é bom frequentar um blog assim onde os afectos são festejados, e falados, e partilhados, e saboreados com o paladar do coração.

Parabéns para todos nós, os que por aqui costumamos passar! :)

Beijinho de muitas cores. :)

wind disse...

Lindo:) beijos

Mocho Falante disse...

Minha amiga IM, vai tudo parar ao Linhó mas com a condição, que a malta leve o seu pc portatil para que a blogoesfera continue activa, (uma espécie de resistência).

Agora só porque a piquena não consegue ouvir os mp3 escusa de estar aqui a dizer que infringimos alei... o quero ver quando tiver um pc carregadinho de tecnologia se não vai por o seu blog a cantar, ah pois quero. Depois falamos

Beijocas


Ass; Mocho do aniversário variado

Pitucha disse...

Via Dilbert dei de caras com este post lindo de morrer...
Vou fazer um link para este texto lá no meu "Cinzento" para lhe dar cores e ternura.
Beijos

Maria, la portuguesa... disse...

Que bom post. Gostei muito!