sexta-feira, junho 24, 2005

Florbela Espanca, Uma Mulher que Viveu Antes do Seu Tempo ...



Nasce em Vila Viçosa a 08 de Dezembro de 1894 Flor-Bela d’Alma da Conceição Espanca, filha de Antónia da Conceição Lobo e João Maria Espanca.

Matricula-se no 1º Ano do Liceu em Évora, que frequenta até 1912.

A 8 de Dezembro de 1913 casa, em Vila Viçosa, com Alberto de Jesus Silva Moutinho.

De Julho a Setembro de 1916, participa como colaboradora literária no Notícias de Évora.

Concluí no liceu de Évora o 7º Ano de Letras, como aluna externa, em 1917 e, nesse mesmo ano, matricula-se na Faculdade de Direito de Lisboa.

Em 1919 publica o Livro de Mágoas.

A 30 de Abril de 1921 é decretado o divórcio de Florbela e Alberto Moutinho. Volta a casar-se a 29 de Junho desse mesmo ano, na conservatória do registo Civil do Porto, com António José Marques Guimarães, do qual se vai divorciar, ainda nesse ano, a 09 de Novembro.

Em 1923 publica o Livro de Soror Saudade.

A 04 de Abril de 1924, António José Marques Guimarães distribuí acção de divórcio contra Florbela, na 6ª Vara Civil de Lisboa.

A 23 de Junho de 1925 é decretado o divórcio. Florbela casa de novo a 15 de Outubro desse mesmo ano com Mário Pereira Lage, na Repartição do registo Civil de Matosinhos.

A 08 de Dezembro de 1930, no dia do seu nascimento e do seu primeiro casamento, Florbela põe termo à vida, na sua residência em Matosinhos.

Em 1930 é publicado o seu livro de sonetos Charneca em Flor. O seu livro de contos As Máscaras do Destino é publicado em 1932.

Em 1949 é inaugurado, no Jardim Público de Évora, um monumento em sua homenagem, da autoria do escultor Diogo de Macedo. Azinhal Alberto e José Emídio Amaro publicam, nesse mesmo ano, Cartas de Florbela Espanca.

Os seus restos mortais são transladados em 1964 para o cemitério de Vila Viçosa.

Em 1981 é publicado Diário do Último Ano, de Florbela.

Um Caracol (MUITO) Admirador

9 comentários:

Mocho Falante disse...

Isto é que foi uma mulher casadoria esta...

Sim senhora passarinho fora da gaiola, só não percebo com tanto gajo como foi esta mulher ser tão infeliz

Mocho sensibilis

Caracolinha disse...

É a velha máxima ... quantidade não é qualidade ...

Caracol Justificativo

Vespinha disse...

A miúda era uma Avant Gard!

Vespinha Analítica

Abelhinha disse...

Com a sua forma fanática de amar... não havia retribuição alguma que lhe fosse suficiente.

nasnalgas disse...

Uma pessoa TÃO equilibrada como tu, só podia ser admiradora de pessoa TÃO equilibrada como a Florbela Espanca!!!!

Caracolinha disse...

Pois é minha querida, e uma pessoa TÃO equilibrada como tu, só nos podia adorar às duas, não é ????

Adeusinho e até amanhã ...

Bába Florbélico ~:o)

nasnalgas disse...

Pois é, agora quase me emocionei...quase.
Vai tentado.

obrigadinha e até amanhã

Anónimo disse...

I have been looking for sites like this for a long time. Thank you! »

Anónimo disse...

ler todo o blog, muito bom